Os 7 Pilares de Uma Marca Poderosa

Ter uma marca poderosa significa ter muitas vantagens:

 

  • Uma margem de lucro acima da média

  • “Anular” a concorrência

  • Gastar menos com marketing

  • Atrair os clientes ideais, etc.

 

Mas como se constrói uma marca poderosa?

O que uma marca com clientes fervorosos tem que um negócio genérico, que vive de conceder descontos, não tem?

No fundo são coisas muito simples, muitas das quais podem ser resolvidas rapidamente, com pouco ou nenhum investimento.

Esse artigo é para você que quer sair da posição desvantajosa de não ter um diferencial forte e começar a construir uma marca poderosa e lucrativa da maneira mais eficiente!

Para isso, separei uma lista com os 7 pilares que criam e mantém as melhores marcas do mundo e que funcionam em negócios de todos os tamanhos e segmentos.

Quanto mais pilares sua marca tiver, mais relevante e poderosa será!

1º Pilar - POSICIONAMENTO CLARO

POST_022.png

É impossível ser relevante sem se posicionar.

Negócios que assumem a responsabilidade de escolher e manter um posicionamento são os que têm chances reais de decolar.

Isso acontece porque cada nova marca que conhecemos recebe uma “etiqueta” antes de ser arquivada em nosso cérebro.

Uma marca com um posicionamento claro é fácil de ser etiquetada e arquivada num lugar de destaque.

Geralmente são classificadas como “Úteis”, “Confiáveis”, “Importantes”, “Inesquecíveis”, etc.

Por outro lado, marcas sem posicionamento são difíceis de etiquetar. Não está claro para o cliente o que aquela marca faz e qual a utilidade dela para ele.

Diante disso, o nosso cérebro toma a decisão mais rápida e garantida, que é etiquetar aquela marca como “GENÉRICA” e colocá-la numa pasta que nunca mais será aberta.

Por isso é tão importante se posicionar: assim seremos facilmente lembrados e localizados pelas pessoas que precisam de nós!

Podemos fazer uma analogia com pessoas reais: é mais fácil apoiar e gostar de alguém que tenha uma opinião bem definida ou alguém que não saiba ao certo o que pensa?

Indefinição causa confusão, e ninguém gosta de confusão!

2º Pilar - PERSONALIDADE AGRADÁVEL

POST_023.png

Ter um posicionamento é apenas o começo. É uma etapa que acontece nos bastidores e precisa ganhar o mundo.

Então, como transmitir o posicionamento da melhor forma para o cliente?

Fazemos isso através da personalidade da marca, que vai dar sentido cor e vida ao posicionamento escolhido.

Um negócio sem personalidade é como um robô: um simples executor de tarefas sem graça. Competente e sem grande valor

Um robô não cativa as pessoas. Pessoas cativam pessoas. E pessoas com personalidade agradável cativam muito mais!

Façamos novamente o paralelo com pessoas reais: qual a opinião geral sobre alguém sem personalidade?

Nada boa, não é? Geralmente essas pessoas são esquecidas, ninguém as convida para nada e não despertam nenhum sentimento especial nos demais.

Recebem um tratamento frio e superficial.

Assim, uma boa personalidade de marca está associada às características positivas que conseguimos atribuir a ela em nosso trabalho de branding.

3º Pilar - VOZ PRÓPRIA

POST_024.png

A personalidade de marca pode ser expressa de muitas formas. Uma das mais poderosas é a voz da marca.

Muita gente subestima esse poder, e por isso quem lhe dá a devida atenção tem uma ferramenta a mais para construir valor.

Assim como uma pessoa, uma marca precisa ter vários tons de voz para se comunicar bem em cenários diferentes.

A voz usada para responder um comentário na internet não é a mesma voz que usamos para descrever características técnicas do nosso produto ou serviço, certo?

Confira uma lista com as principais vozes de um negócio e o que cada uma tem de particular:

Voz da VENDA

Usada para vender sempre mais e melhor. Hoje em dia o copywriting está sendo popularizado como a principal forma de escrita voltada ao convencimento. O tom predominante é a apresentação de uma oportunidade ou a criação de uma necessidade urgente.

Voz da AUTORIDADE

Apesar de não ser um discurso de venda, tem o poder de preparar o terreno para o mesmo. É uma comunicação que SEMPRE leva em conta as necessidades e problemas do leitor, fornecendo soluções de valor.

Voz do RELACIONAMENTO

É quando falamos diretamente com nosso consumidor, fisicamente ou na internet. Essa voz amigável e próxima tem um tremendo poder: pode tanto confirmar uma opinião positiva do público como mudar uma opinião negativa que este possa ter.

Voz da INFORMAÇÃO

A voz dos pormenores, das pequenas dúvidas e dos problemas personalizados. Pode ser um FAQ, um manual de instruções ou tudo que demandar grande clareza e detalhes.

Levar em conta cada uma dessas vozes, e como elas se relacionam, passará uma imagem mais confiável do seu negócio e fortalecerá sua marca.

4º Pilar - IDENTIDADE VISUAL

POST_025.png

Muitas empresas começam a jornada de diferenciação daqui, pulando a parte inicial do posicionamento, personalidade e vozes da marca.

Esse erro é tremendo, pois a identidade visual serve justamente para comunicar os pontos fundamentais de uma marca!

Se você começar por aqui, terá no máximo uma identidade visual “bonita”, mas totalmente ineficiente, pois não estará comunicando nada de importante.

Imagina alguém bem vestido, com presença, boas maneiras e gestos confiantes, mas que quando abre a boca só fala besteira:

Esse é mais ou menos o efeito de uma identidade visual SEM o trabalho de posicionamento por trás.

Elementos como logotipo, tipografia, cores, estilo fotográfico, efeitos, grafismos e muito mais servem para gerar conhecimento e reconhecimento do seu negócio.

Por isso a identidade visual funciona como um facilitador universal da comunicação, que fará seu cliente entender, subconscientemente, suas principais qualidades

Para entender esse poder, experimente olhar para as identidades visuais de empresas como VIVO, Apple, Harley-Davidson e perceba que TODA a comunicação segue um padrão que conversa diretamente com o coração da marca.

Por isso o trabalho de criar uma identidade visual é tão importante e nunca deve ser deixado ao cargo de amadores.

5º Pilar - MANUAL ACESSÍVEL

POST_026.png

Sem um manual de uso, cada pessoa, parceiro ou fornecedor que for usar sua marca criará suas próprias regras.

Em pouco tempo você verá seu logotipo sendo esticado, sua cor oficial sendo trocada, isso nas melhores hipóteses.

Nas piores, sua personalidade, posicionamento e voz serão distorcidos, alterados e até invertidos. Ou seja, é como você estivesse sendo hackeado.

Como resultado, haverá a destruição de valor de marca. Por isso, todo cuidado com sua marca, ela pode ser seu ativo mais valioso.

Um manual completo, chamado BRAND BOOK, cobre tudo que alguém precisaria saber sobre sua marca, do posicionamento às regras técnicas para aplicar seu logotipo em fundo escuros, por exemplo.

Mas se seu negócio ainda não tem essa escala, um bom começo pode ser um simples Manual de Identidade Visual, o popular MIV

Ele cobre os principais aspectos técnicos de aplicação de uma marca ajuda evitar erros mais grosseiros.

6º Pilar - O GUARDIÃO DA MARCA

POST_027.png

Um guardião da marca se trata mais de um conceito do que de uma pessoa.

No início, você, empreendedor, será o guardião da sua marca, “fiscalizando” se a aplicação dela está correta ou não.

Conforme seu negócio ganha corpo e alcance, contrate sempre fornecedores que tenham o bom senso de seguir as orientações do seu manual de marca.

Ou, se você tiver uma agência de confiança, pode repassar essa atividade para ela.

Lembre-se que proteger uma marca não é um custo, está mais para um seguro que evita perdas maiores

E, num último nível, seu cliente é seu maior guardião. São célebres histórias onde os fãs de uma marca forçaram que esta voltasse atrás em decisões que não refletiam a essência da marca.

O mais famoso deles foi o lançamento da New Coke, em 1985, onde a Coca-Cola lançou uma nova fórmula no mercado americano motivado pela concorrência da Pepsi.

Ao fazer isso e retirar a fórmula “antiga” de circulação, a empresa quase enfartou seus consumidores mais fiéis, que chegaram a estocar a bebida antes da mudança.

Em poucos meses tiveram que voltar atrás, voltar à fórmula tradicional e retirar a New Coke do mercado.

7º Pilar - PROPÓSITO SINCERO

POST_028.png

Deixei esse pilar por último para que sua importância não seja esquecida: sem um propósito verdadeiro não há nada que possa salvar um negócio da prateleiras dos “genéricos”

A palavra “sincero” também não está aí por acaso. Não que as pessoas mintam eu seus propósitos, mas a maioria deles não foi pensado tão a fundo que pareça sincero.

E os clientes têm um radar extremamente eficiente para detectar quando baboseiras estão sendo ditas por empresas.

Por isso não vale a pena elaborar um propósito para inglês ver. Tem que ser real, tem que ser orgânico.

Ter um propósito é certificar para o mundo que aquele negócio existe por um bom motivo coletivo, não só para enriquecer o dono

Acredito que a maioria dos negócios tenha um bom motivo para existir, uma missão mais nobre, digamos assim. A deficiência em geral é conseguir delimitar e comunicar essa missão.

Bônus: CONSELHEIRO DE MARCA

POST_029.png

Uma marca só parece uma coisa fluida e natural para o cliente.

Por trás das cortinas ela deve ser planejada, mensurada e revista, quando necessário. Vide os processos de reposicionamento e redesign de marcas.

Às vezes a mensagem central está desgastada, a empresa sofreu um golpe na imagem, os clientes estão abandonando a marca, enfim, “n” motivos podem te obrigar a repensar sua relevância.

Isso é natural. Podemos “zerar” atitudes antigas que não funcionam mais e adotar novas, mais vantajosos para o momento que vivemos.

(Desde que estejam de acordo com o propósito da marca)

Por isso é tão importante que você tenha um conselheiro especialista em marcas para orientar no processo de construção e revitalização da sua marca - que nunca termina.

É isso!

Espero que com essas informações valiosas você possa construir uma marca dura na queda para o seu negócio!

Ah, se este artigo te ajudou de alguma forma, não esqueça de compartilhá-lo com outros empreendedores que podem precisar dele!