Como Criar um Logotipo Para o Seu Negócio (GUIA DEFINITIVO)

Cada negócio no planeta precisa de um logotipo. Por isso esse é um mercado gigantesco que movimenta milhões de dólares todos os anos.

Mas você realmente sabe porque seu negócio precisa tanto de um logotipo (ou logomarca)? Ou então, pra que raios serve um logo, afinal de contas? Existe logotipo grátis?

São tantos mal-entendidos e crenças erradas sobre o assunto que até o básico pode parecer complicado…

É por isso que esse artigo existe: para organizar de forma fácil e acessível as informações mais importantes pra você que precisa de um logotipo!

Dito isso, recomendo fortemente que você continue a leitura desse artigo se quiser saber, de uma vez por todas:

  • Pra que serve e, mais importante, pra que NÃO serve um logotipo
  • Qual tipo de logo seu negócio precisa e onde encontrá-lo
  • Quem você deve contratar e qual o valor justo a pagar
  • Onde é possível criar um logotipo grátis 
  • O erro que 97% dos negócios cometem na hora de criar seus logos
  • Como descobrir se seu logotipo é bom com 3 perguntas simples
  • O que é preciso para ter uma marca admirada por todos

Bora lá?

Pra que serve um logotipo?

Para início de conversa, ter um bom logotipo faz parte da estratégia de diferenciação de qualquer negócio bem sucedido.

Dados do SEBRAE revelam que a falta de diferenciação é um dos erros que mais mata empresas brasileiras.

Apesar da urgência do problema, a maioria dos empreendedores trava quando o assunto é design.

Por isso, vamos começar pelo básico:

Um logo serve, basicamente, para identificar o seu negócio

Ok, isso você já sabia. Mas esse é só o primeiro nível de percepção, o mais básico e sem atrativos.

Existem vários níveis de percepção.

Quanto mais você sobe de nível, mais lucrativo seu negócio fica.

NÍVEL 1 – Identificação 

Como o nome já diz, significa que você tem um logotipo e o utiliza para identificar seu negócio sempre que é preciso (site, fanpage, cartão de visitas, etc.)

NÍVEL 2 – Associação 

Quer dizer que seu público-alvo e os concorrentes passam a reconhecer seu logotipo e associá-lo ao seu negócio, serviço ou produto.

Para que isso aconteça, ele precisa parecer um logotipo (soa óbvio, mas muitos logotipos parecem tudo, menos a representação de um negócio)

NÍVEL 3 – Entendimento 

Tem a ver com a qualidade da mensagem que seu logotipo passa.

Se ele for minimamente bom, fará com que o mercado tenha uma boa ideia do seu negócio, seus valores e sua missão.

IMPORTANTE: Dificilmente haverá entendimento sem a construção de uma IDENTIDADE VISUAL, tema que trataremos ainda neste artigo.

Pra que NÃO serve um logotipo?

Parece estranho, mas o papel do logotipo deixa de ser tão fundamental quando passamos para os melhores e mais lucrativos níveis de percepção de uma marca.

Isso acontece porque entram em cena vários elementos necessários para construir uma marca, como:

  • Posicionamento de Mercado
  • Identidade Visual
  • Branding

São esses elementos que explicam, por exemplo, como a Apple consegue ter 92% de todo o lucro do mercado de smartphones detendo apenas 18% das vendas!

Um logo não faz uma marca assim como uma andorinha não faz verão

Por isso, esperar que um logotipo sirva como marca ou como identidade visual pode ser um grande erro.

NÍVEL 4 – Essência

De repente, depois que você construiu sua identidade visual e trabalhou seu posicionamento de mercado, as pessoas começam a reconhecer aquilo que você faz de melhor.

Você passa a ser lembrado por isso, como nos exemplos:

“Este é Fulano de Tal, ele cria excelentes treinamentos para iniciantes em meditação” ou

“Esta é a Empresa X, ela fornece os melhores componentes originais para smartphones da cidade”

NÍVEL 5 – Referência

Quando seu negócio se torna uma referência, ele costuma ser levado em conta pelo cliente no momento da compra, mesmo que não tenha a preferência dele no final.

Se você chegou até aqui, significa que é um player importante e dificilmente será ignorado pelo público e pela concorrência.

NÍVEL 6 – Preferência

O suprassumo da diferenciação. Ser o preferido significa provavelmente que você é único e incomparável.

Além do que, seus clientes gostam tanto de você, da sua missão e do jeito que você faz as coisas, que vão te defender e até perdoar seus erros e defeitos.

Se você tem clientes assim, significa que está construindo o ativo mais valioso de um negócio: sua marca.

Mas fique atento: Se seu logotipo for ruim, fraco ou mal-feito, existem grandes chances dele ATRAPALHAR a construção da sua marca.

A diferença entre um logotipo pago e um gratuito

Um logotipo grátis não significa que seja ruim, nem um pago significa que seja bom. Então, a qual você deve recorrer?

Bem, isso vai depender mais do momento atual e das necessidades específicas do seu negócio do que de qualquer outro fator.

Confira nas tabelas abaixo qual a melhor opção em cada caso, depois leia as dicas para o seu caso:

Logotipo GRÁTIS

Para criar um logotipo sem pagar nada, você tem duas opções:

  • ou você usa programas profissionais para criação de artes vetoriais (o formato padrão de um logotipo) e faz tudo você mesmo
  • ou utiliza ferramentas online gratuitas que tornam tudo fácil e automatizado pra você

IMPORTANTE: se você não tem familiaridade com programas de edição, recomendo fortemente que pule para a opção 2 e evite uma curva de aprendizado chata que pode te fazer desistir.

OPÇÃO 1 – Usando programas profissionais

Basicamente, existem dois principais programas onde você pode criar seu logotipo em formato vetorial:

Ambos são aptos para a tarefa. Optar por um ou por outro é uma questão de gosto ou de necessidades muito específicas que não são importantes agora.

Mas você pode estar se perguntando: “se são programas profissionais, não são pagos?”

Sim, ambos são pagos e seus preços variam em assinaturas mensais de R$ 71 a R$ 75.

A sacada é que você só precisa criar um único logotipo, o seu!

Ou seja, baixe as versões gratuitas para teste (15 dias grátis para o Corel e 30 dias para o Illustrator), crie seu logo e depois delete-as.

Se o período for insuficiente, você pode contratar o software por um mês extra e ainda assim estará economizando em relação a quase tudo que existe no mercado.

Faixa de preços: grátis na versão para testes

OPÇÃO 2 – Usando Ferramentas Online Gratuitas

Essas ferramentas têm se proliferado nos últimos anos e algumas são minimamente viáveis.

Basta apenas saber encontrá-las no meio da grande quantidade de porcarias.

Por isso, indico apenas duas opções:

Quais devo evitar: Logaster, LogoMaker, FreeLogoServices e quase todos os outros serviços, em especial aqueles que tenham ícones que pareçam tirados da lista de cliparts do Word.

Faixa de Preços: grátis (ambos sites têm versões em português)

Principais vantagens:

  • Não gastar nada é a maior delas
  • Customizar à vontade e testar uma infinidade de variações até ficar OK
  • Baixa os arquivos na mesma hora

Desvantagens:

  • É quase impossível ser original, já que os sites se valem de bancos de imagens e fontes prontas
  • Não oferecem todos os formatos do arquivo original, ou seja, seu uso será limitado
  • Não contar com o apoio de um profissional para evitar erros comuns

IMPORTANTE: Mais adiante você vai aprender a evitar os erros básicos que podem acontecer.

Logotipo BARATO

Uma pequena revolução se deu no mercado criativo quando começaram a surgir serviços online de crowdsourcing, ou colaboração coletiva.

Funciona assim: você possui uma demanda em seu negócio (criar um logotipo barato, por exemplo) e a terceiriza online para uma grande comunidade de profissionais naquela área que vão criar o que você pediu pelo valor que você pode pagar.

Depois é só selecionar o que prefere: variedade de opções, preços módicos, velocidade ultra-rápida, qualidade premium e por aí vai.

As principais opções nesse formato são:

Faixa de preços: à partir de $5 dólares (os sites estrangeiros têm versões em português do Brasil)

Principais Vantagens:

  • Se você tem pressa, é possível ver as primeiras opções em 1h pagando $5 dólares no Fiverr
  • Se você gosta de ter opções, já vi concursos com mais de 1.000 artes postadas no 99designs
  • Se você quer garantias, a maioria dos sites têm opções que permitem cancelar seu concurso caso não goste de nada

Desvantagens:

  • Como os profissionais precisam produzir muito para compensar a concorrência, a maioria massiva das opções não terá um estudo sério por trás, sendo apenas esteticamente bonitas
  • Você precisa ter noções de como escolher um bom design, ou poderá aprovar uma “bomba” e se arrepender depois

IMPORTANTE: Mais abaixo você vai aprender como saber se um logo serve para seu negócio só de olhar.

Logotipo EFICIENTE

Note que eu disse “eficiente” e não “caro”. Isso porque o valor aqui não está relacionado a quanto vai custar, mas a quão importante é o problema que será resolvido.

Imagine a British Petroleum, que teve a imagem desgastada devido aos vazamentos de óleo no oceano e precisou se renovar como empresa sustentável e ecologicamente preocupada.

Bem, sem dúvida esse é um problemão a ser resolvido…

Sua solução custou nada menos do que 211 milhões de dólares, valor pago pela criação de um novo sistema de identidade visual que deixava claro o novo posicionamento.

Valeu a pena pra eles? Com certeza.

Felizmente você não precisará investir tanto, mas o importante é entender o seguinte:

O ROI do design é gigantesco

Nunca vi nenhum negócio investir numa boa marca e perder dinheiro.

Pelo contrário, a tendência de um bom trabalho de marca é que a própria marca se torne o ativo mais valioso da empresa.

Veja essa frase de um antigo CEO da Coca-Cola:

“Se todas as nossas fábricas pegassem fogo amanhã, isso mal afetaria o valor da empresa, que está, na verdade, em nossa marca e imagem”

Sendo assim, existem 3 opções de conseguir um logotipo eficiente:

OPÇÃO 1 – Contrate um freelancer especializado

Estima-se que até 2020, cerca de 50% da força de trabalho dos EUA será freelancer.

Essa é uma tendência mundial e irreversível.

Também é uma grande oportunidade de contratar gente excelente por um preço mais acessível.

A maioria dos freelancers geralmente trabalha em casa e não tem altos custos para manter seu negócio, o que reflete no preço.

Contratar um “freela” para criar sua identidade visual será mais vantajoso ainda se você escolher um profissional especializado em marcas, o BRAND DESIGNER.

Busque por um profissional que tenha um estilo que combine com o resultado que você espera para os seus trabalhos.

Para se certificar disso, peça sempre o PORTFÓLIO.

Além das já citadas 99designs, Fiverr e WeDoLogos, algumas boas plataformas onde você encontra freelancers especialistas são:

Faixa de preços: há projetos à partir de R$ 30, mas bons profissionais vão custar à partir de R$ 300

OPÇÃO 2 – Contrate uma pequena agência de design

É importante repetir: escolha uma agência de DESIGN.

Digo isso porque vejo muitas agências de marketing e publicidade oferecendo serviços de criação de marca.

Não que sejam ruins, algumas até são boas, mas como não é a principal área de atuação dessas empresas, é provável que elas só ofereçam esse serviço pela conveniência gerada.

Por exemplo, você procura um plano de marketing digital para vender na internet e a agência de marketing diz que uma repaginada na marca é necessária.

Dificilmente te dirão para procurar um designer especializado e voltar quando estiver com a nova identidade.

Mas é exatamente isso que você deve fazer se quiser construir uma marca que seja maior do que um plano de marketing digital.

Procure um especialista no assunto e não tenha dor de cabeça mais tarde (só esse conselho já vale o artigo, vai por mim!)

Pedir para uma agência de marketing ou publicidade criar sua marca é o mesmo que pedir a um pianista que construa um piano

Além disso, uma pequena agência pode resolver várias demandas extras que você vai ter, como:

  • Criar material impresso, embalagem, estande para eventos
  • Site, landing page, e-commerce
  • Além de te ajudar a proteger sua marca em todas as aplicações

Faixa de preços: entre mil e dez mil reais por projeto, em média

OPÇÃO 3 – Contrate uma agência referência

Quando se fala em design, grandes agências não significam muitos funcionários, mas sim um histórico de qualidade e relevância.

Por exemplo, um dos estúdios mais respeitados do mundo e referência em design contemporâneo, Sagmeister & Walsh, tem 28 funcionários cadastrados no LinkedIn.

Com esse número, seria classificado como “pequena empresa” no Brasil.

Para usufruir de tudo que uma grande agência pode oferecer, é necessário ter uma visão esclarecida sobre o real valor e importância do design.

Algumas agências que fazem um trabalho espetacular no Brasil:

Faixa de preços: sob consulta

Erros comuns

Evite cometer os erros descritos a seguir e você fará parte de uma elite que está no caminho certo para construir marcas valiosas.

Você não estará sujeito a eles se optar sempre por contratar bons profissionais e agências.

Em todo caso, vale a pena conhecer essas dicas!

“Meu logotipo é minha marca”

Muita gente (mais de 97%, pelos minha estimativa) pensa que, se tiver um logotipo, terá também uma marca.

Nada poderia estar mais longe da verdade.

O logotipo é apenas um dos elementos da identidade visual, que é apenas uma das expressões de uma marca

Para não sofrer mais com a confusão de termos, utilize o pequeno glossário abaixo e saiba exatamente do que uma marca é feita, na ordem em que é feita:

  1. Posicionamento de Mercado: é o “lugar” mais vantajoso onde seu negócio pode ficar no mercado, baseado no que você sabe fazer de melhor e que dá retorno financeiro e sustentabilidade ao negócio.
  2. Persona de Marca: à partir do posicionamento, é desenvolvida a persona de marca (não confundir com buyer persona) que, em resumo, é a personalidade da sua marca, como ela age, fala e etc.
  3. Logotipo / Logomarca: baseado na persona de marca, o designer cria o símbolo que representa visualmente essa personalidade. É a cara da marca.
  4. Identidade Visual: são todos os elementos visuais (cores, tipografias, grafismos, efeitos, estilo fotográfico, materiais e etc.) que criam um universo coeso para que a marca seja facilmente reconhecida pelo público.
  5. Manual de Identidade Visual: ensina como usar e como não usar os elementos da identidade visual para que a marca esteja sempre na potência máxima, não importa em qual tamanho, em qual suporte e etc.
  6. Branding: é todo trabalho de construção e gestão da marca ao longo do tempo. Uma campanha de marketing, uma funcionalidade num aplicativo, um patrocínio ou qualquer esforço consciente que reforce a ideia da marca na mente do público pode ser considerado branding.
  7. Marca: é a somatória de tudo que uma empresa é e faz com a imagem que existe dela na mente do público.

“Um logotipo genérico é melhor que logotipo nenhum”

Esse é um meio erro.

Às vezes um logo, por mais genérico que seja, é necessário para representar um negócio. Mas, ao mesmo tempo, um logo genérico prejudica a imagem desse negócio!

Então, a dica é: se você tem um logo genérico OU não tem nenhum logo, em ambos os casos esse é um problema grave, se sua ideia for ter uma marca respeitada.

Um logo genérico deixa 3 pistas claras:

  1. Pode ser usado por empresas de vários ramos sem parecer fora de contexto
  2. Segue um “estilo” que está ou esteve na moda um dia
  3. É a ideia mais óbvia que alguém poderia ter sobre um assunto

Em resumo, logos genéricos são “criações” que não dizem nada sobre os negócios que representam.

Com o bônus de que será quase impossível torná-los marca registrada da empresa.

“Probleminhas técnicos”

Digo “probleminhas” porque podem parecer inofensivos num primeiro momento, mas suas consequências são tremendas. Os principais são:

  • Aplicações limitadas: um logo que não funcione num fundo escuro, que não seja legível num tamanho pequeno ou que não fique bem em apenas uma cor não está realmente terminado.
  • Data de validade: seguir tendências, modas e “inovar” de forma duvidosa e radical são as receitas certas para criar logotipos que em pouco tempo serão motivo de vergonha.
  • Excesso de informações: muitas cores, muitas fontes e muitos elementos num logotipo causam apenas um resultado: muita confusão.
  • Vazio de sentido: “É lindo! Pena que não significa nada” Apesar de ser totalmente visual, inspirar sentimentos cuidadosamente planejados no público é uma das principais funções de um logotipo.
  • Falta de Regras: ainda que um logotipo seja bem feito, será irrelevante se não vier acompanhado de um conjunto de regras de uso, que determinem, por exemplo, as cores e fontes oficiais, os efeitos e aplicações permitidas, entre outras coisas.

“Probleminhas legais”

Na verdade, esses são problemões!

Basta pensar que um único processo legal envolvendo quebra de direitos autorais é o suficiente para falir a grande maioria dos negócios.

Quanto mais original e bem embasado for um logotipo, mais longe ele estará de problemas com registros, de acusações de plágio e de semelhanças indesejadas com a concorrência.

Para ficar tranquilo aqui, contrate sempre profissionais idôneos.

Teste a qualidade do seu logotipo

Para descobrir se o seu logotipo é bom só de olhar pra ele, faça mentalmente essas 3 perguntas simples:

1 – “Meu logotipo é original?”

Ser original é um ponto entre ser comum e ser estranho. Nem muito comum, nem muito estranho.

Pense no rosto humano, todos são parecidos, mas alguns são únicos e marcantes.

Assim como o rosto, um logotipo original irá chamar a atenção onde estiver e dificilmente será esquecido.

2 – “Meu logotipo é simples?”

Se ele for simples (ou “clean”) significa que cumpre a maioria dos requisitos de aplicabilidade e legibilidade. 

Cuidado apenas para não ser simplista, ou seja, tão simples que perca o sentido.

3 – “Meu logotipo representa meu negócio?”

De nada adianta ser simples e original e representar OUTRA empresa!

O sentimento que ele desperta no seu público deve ser idêntico ao que você gostaria que fosse.

CONCLUSÃO: Como ter uma marca amada por todos

Como tudo que vale a pena, não existe um atalho.

Para ser amado, valorizado e admirado por público e crítica, a palavra chave é CONSTRUÇÃO. E construir significa se dedicar consistentemente a algo que se almeja.

Fazendo um paralelo com a alimentação, ter uma marca saudável não é uma questão de dieta (benefício momentâneo), mas sim uma questão de reeducação alimentar (ganho a longo prazo)

Uma marca saudável vai fazer seu negócio viver uma vida mais longa e próspera

Ideias-chave:

  • Para maiores ganhos, esteja focado em aumentar o nível de percepção do seu negócio.
  • Ao criar seu logo, escolha a opção que mais combina com o momento atual do seu negócio. Querer economizar aqui pode custar sua reputação.
  • O verdadeiro custo do design não está em quanto você gasta com ele, mas em quanto você deixa de ganhar ao deixá-lo pra lá.
  • Contrate sempre bons profissionais para evitar problemas sérios e de difícil solução.
  • Tenha em mente que construir uma marca é um trabalho diário altamente recompensador (e que vai muito além do logotipo)
  • Colha os frutos de ouro que uma marca poderosa proporciona!

É isso!

Espero que com essas dicas e informações agora você tenha um caminho claro para trilhar quando precisar criar um logo para seu negócio.

O mundo das marcas é muito vasto e surpreendente, por isso não deixe de acompanhar nossos conteúdos criados sob medida!

Ah, se este artigo te ajudou de alguma forma, não esqueça de compartilhá-lo com outros empreendedores que podem precisar desse conteúdo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *